08/01/2020 • • por Andre Massaro

O que é uma “penny stock”


Penny Stock é, basicamente, uma ação cujo preço é cotado em centavos. Se você quer, simplesmente, saber o significado do termo, pode parar a leitura por aqui…

Porém, se você quer entender um pouco mais sobre essas “ações de centavos” e o que as faz serem diferentes das outras (além do preço), prossiga!

Origem do termo

Imagem de uma moeda de um centavo de dólar (um penny)
Um “penny” americano (1 centavo de dólar)

Penny Stock é uma expressão em Inglês (naturalmente). “Penny” é uma moeda de um centavo, nos EUA e na Inglaterra. É aquela moedinha americana com a cara do Abraham Lincoln…

Penny stock” é, então, uma “ação de um centavo” (em tradução livre).

Aqui no Brasil, como já é sabido, temos o hábito de usar muitos jargões financeiros em Inglês mantendo sua forma original. Então, se usa correntemente penny stock para se referir às ações brasileiras que são negociadas em centavos de Real.

A propósito, para saber mais sobre esses jargões financeiros, confira este artigo: “Jargões financeiros – Por que devemos entendê-los

O que define se uma ação é “penny stock”?

A primeira coisa que é preciso esclarecer é que não basta apenas “custar centavos” para uma ação ser considerada, tecnicamente, uma penny stock. Conforme o mercado, também é preciso que a capitalização de mercado (o valor de todas as ações somadas) seja abaixo de um determinado valor.

Também pode haver um critério de tempo, que define que a ação só “vira” uma penny stock se negociada naqueles níveis acima de determinado tempo.

Porém, o preço é o fator principal e o mais visível.

Mas, falando apenas nos valores: Nos Estados Unidos, uma penny stock era uma ação com valor de mercado inferior a um dólar. A definição foi alterada pela SEC (Securities and Exchange Comission – a “CVM de lá”) e hoje ações com preço de mercado inferior a CINCO dólares (caso de enquadrem nos outros critérios) já são consideradas penny stock.

No Brasil, a “nota de corte” é um real. E a “luz amarela” acende quando uma ação é negociada abaixo de um real por 30 pregões consecutivos. Quando isso acontece, a empresa emissora é notificada pela bolsa e precisa tomar medidas para reverter a situação.

Como regra geral, as bolsas “não gostam” muito de penny stocks e impõem várias restrições. Aqui no Brasil tem essa questão do limite de 30 dias. Nos Estados Unidos, a maioria das penny stocks sequer é negociada em bolsa (e sim em mercados de balcão) e as corretoras têm restrições para oferecer essas ações aos investidores.

Vantagens de se investir em penny stocks

Talvez, a vantagem mais obvia de uma penny stock seja a volatilidade. Ou seja, a amplitude dos ganhos (e perdas) causada pelo baixo preço. Numa ação de um real, a unidade mínima de oscilação (ou “tick”) é um centavo. O mínimo movimento que a ação fizer já vai dar 1% (e esse ganho ou perda pode ser ainda maior, quanto mais próximo a ação estiver de zero).

A outra vantagem é que é possível comprar muitas ações com pouco dinheiro, ou uma quantidade ABSURDAMENTE GRANDE de ações com uma quantia maior.

Agora imagine ter uma quantidade enorme de ações que, com qualquer “espirro”, pode valorizar mais de 1%?

Os riscos de se investir em penny stocks

Porém, o que vale para cima também vale para baixo. Assim como os ganhos são amplificados por esse efeito dos preços, as perdas também são.

E tem outra consideração importante: Uma penny stock é, na maioria das vezes, um sinal de “empresa encrencada”. Usualmente são de empresas em recuperação judicial ou que estão sujeitas a grande risco de continuidade dos negócios.

Então, o risco de perda total e irreversível do investimento é bastante alto. Com penny stock não dá para contar muito com o “longo prazo”…

Outro grande problema das penny stocks é a liquidez. A diferença (spread) entre ofertas de compra e venda tende a ser grande (o que gera um grande slippage) e o investidor pode, simplesmente, não ter ofertas de compra se quiser sair da posição.

Como uma ação deixa de ser penny stock?

Nenhuma empresa quer ter suas ações negociadas a um preço nominalmente tão baixo. Isso sequer “pega bem” junto ao público e ao mercado. Inclusive, conforme o mercado, a empresa sofre o risco de ser “deslistada” (ou seja, é “chutada para fora” da bolsa) se a situação se mantiver por muito tempo.

Por isso, salvo exceções, é de interesse da empresa que suas ações deixem de ser penny stocks.

Quando uma ação se torna penny stock, geralmente acontecem duas coisas:

Fechamento de capital (menos comum)

A empresa compra (se tiver dinheiro, naturalmente) suas próprias ações e fecha o capital, saindo, efetivamente, do mercado.

Agrupamento ou (“Inplit”)

A empresa funde várias ações em uma só. Isso não implica em aumento do valor do capital – apenas em uma diminuição da quantidade de ações.

Com isso (espera-se) as ações voltam a ser negociadas normalmente, sem volatilidade exagerada e distorções causadas pelos preços tão baixos.

Investir em penny stocks é para você?

Como sempre, depende…

A maioria das pessoas que se envolve com penny stocks não são, propriamente, investidores. São traders (especuladores) que esperam ter grandes ganhos com pequenas variações de preços.

Veja meu artigo “O investidor, o especulador e o trader

As penny stocks acabam funcionando, guardadas as devidas proporções, como se fossem derivativos que, pelo efeito da alavancagem, podem dar grandes ganhos ou perdas com pequenas variações.

Uma penny stock não é, propriamente, “alavancada” e tem, em relação aos derivativos, a vantagem (ou desvantagem, dependendo do ponto de vista) de não ter um vencimento. Elas não sofrem, então, o “time decay” das opções e contratos futuros.

Outro ponto importante: penny stocks são EXTREMAMENTE DIFÍCEIS de analisar. Análise técnica não funciona muito bem, pois os movimentos são fortemente distorcidos pelos preços. A análise fundamentalista também pode ser virtualmente inútil – muitas vezes o problema dessas empresas pode estar nas mãos da Justiça (quando há iminência de falência).

Alguns podem argumentar que investir em penny stocks é um tipo de “loteria”. Obviamente existem os “magos das finanças” que dizem ter fórmulas efetivas para analisar penny stocks e identificar as melhores oportunidades.

Eu, particularmente, prefiro não opinar nem comentar. Neste caso, reservo meu direito ao ceticismo.

Para finalizar, quero comentar um último assunto:

Nós, brasileiros, temos uma tendência natural (e justificada) de achar que tudo, aqui no Brasil, é pior e mais bagunçado do que o que existe lá fora.

De fato, nosso mercado financeiro não é tão desenvolvido e maduro, mas, em alguns aspectos, as coisas aqui são mais reguladas e “travadinhas” do que em alguns mercados desenvolvidos.

Aqui no Brasil não há tanto espaço para fazer “maracutaias” com penny stocks. Nos EUA, por exemplo, o investimento em penny stocks é um verdadeiro “campo minado”. Lá o mercado é muito grande (com milhares de empresas, e muitas passam em branco para a maioria dos investidores) e as penny stocks estão geralmente, nos mercados de balcão.

Existe lá uma verdadeira “indústria” das penny stocks, que promete retornos escandalosamente altos a investidores incautos e/ou gananciosos. É uma verdadeira “festa” de gurus, pseudo-analistas e “gênios financeiros” em geral, tentando vender recomendações de investimentos em empresas que “vão bombar” ou tentando aplicar golpes, como o famoso pump’n’dump” (clique para saber mais).

Por isso, caso você queira investir em penny stocks, saiba que é uma modalidade de investimento bastante agressiva (especialmente se os valores forem grandes) e procure saber BEM o que está fazendo…

Quer saber mais sobre investimento em ações, com seriedade, método, segurança e riscos controlados? Conheça meu curso “ValueMaster” clicando no banner abaixo!

Banner ValueMaster

Quer se manter atualizado?

Assine minha newsletter e fique sabendo em primeira mão de meus artigos e vídeos e, ainda, receba conteúdos EXCLUSIVOS.

Leia também:

Comentários