24/05/2020 • , • por Andre Massaro

Como ganhar dinheiro trabalhando em casa


Antes de começar a escrever este artigo, eu fiz uma rápida pesquisa sobre “como ganhar dinheiro trabalhando em casa” na internet. Não posso dizer que fiquei surpreso com o que eu vi: Uma infinidade de conteúdos (afinal, trabalhar em casa é um sonho manifestado por muitas pessoas – deve ser um assunto com boa demanda), sendo que a esmagadora maioria desses conteúdos estava entre o extremamente superficial (aqueles artigos com dicas óbvias ou ingênuas, na linha “faça brigadeiros e bolos em casa”) e o extremamente picareta (aqueles que vêm da turma das pirâmides e dos esquemas de enriquecimento rápido).

Em outras circunstâncias, eu evitaria escrever um artigo que fosse “mais um”, apenas para tentar competir por sua atenção com… uma montanha de merda que tem na internet (desculpe pelo meu “Francês”, mas não consigo encontrar outra palavra para definir o resultado da minha pesquisa).

Inicialmente, um pouco de contexto (uma nova era para o trabalho em casa)

Este é um artigo que, provavelmente, terá “vida longa” e será atualizado ao longo do tempo. Porém, é importante (para dar o contexto correto) registrar que ele está nascendo naquele momento que, acredita-se, é o ápice da pandemia de COVID-19 no Brasil.

Muitas pessoas agora estão, efetivamente, “trabalhando em casa” (ainda que não do jeito que elas tinham em mente antes da pandemia…). O distanciamento social pode ter vindo para ficar e grandes investimentos estão sendo feitos em ferramentas e tecnologias de trabalho remoto.

Para muitos, o trabalho em casa será um caminho sem volta. De forma geral, as possibilidades de trabalhar em casa aumentaram drasticamente e, tudo indica, continuarão aumentando.

Estamos assistindo a um processo que, agora, está ganhando amplitude e velocidade. A pandemia foi o “estopim”, mas podemos estar caminhando rumo a uma realidade em que o trabalho em casa poderá ser a regra, e não a exceção.

Descobrindo se o trabalho em casa é para você

A pandemia está proporcionando a muitas pessoas a oportunidade (forçada) de trabalhar em casa. Sabemos que, muitas vezes, um sonho pode se revelar um pesadelo e, neste caso, algumas pessoas estão tendo a oportunidade de descobrir se o sonho de trabalhar em casa é, de fato, aquilo que elas esperavam.

O “trabalhar em casa” anda lado a lado com o “estudar em casa”. Algumas pessoas estão descobrindo que trabalhar em casa não é tão agradável quanto parece, especialmente aquelas que estão tendo que conviver com filhos ociosos e cheios de energia (estudar em casa exige uma disciplina fora do comum), cônjuges que também estão trabalhando em casa (disputando espaço, computador, telefone, banda de internet etc.), o vizinho de cima ensaiando bateria, o vizinho de baixo aproveitando para fazer uma mini-reforma…

Fora o famoso “efeito Jaque”: o “Jaque você está aí, por que não conserta aquele vazamento na pia?”.

Nunca antes houve uma oportunidade tão boa para descobrir se trabalhar em casa é, de fato, para você… Mas, vamos assumir que é o que você realmente deseja: Você quer, efetivamente, ganhar dinheiro trabalhando em casa. Vamos dar uma olhada nas possibilidades.

Para facilitar as coisas, vou dividir essas possibilidades em sete “classes”, a seguir:

Antes, um aviso – Trabalhar em casa é, de fato, “trabalhar”

Quando falamos em ganhar dinheiro trabalhando em casa, estamos falando em “trabalho” mesmo: Meter a mão na massa (no sentido figurado ou literal).

É importante dar este aviso pois, em boa parte dos conteúdos que vi sobre o assunto, as pessoas parecem misturar (convenientemente) trabalho em casa com “renda passiva”.

Renda passiva (que é ganhar dinheiro SEM trabalhar) é algo que já foi bastante abordado no meu site (siga os links), mas está fora do escopo deste artigo.

O caminho mais óbvio – Um emprego

Antes da pandemia, ter um emprego que te permitisse trabalhar em casa (o famigerado home office) em caráter permanente era algo associado a alguns profissionais de tecnologia e “moderninhos” em geral, que trabalham em empresas “descoladas”.

Durante a pandemia, muitas empresas foram obrigadas (algumas até por pressão das autoridades) a mandar os funcionários para casa. O home office deixou de ser uma opção para ser a única possibilidade de seguir trabalhando.

Sempre houve algum ceticismo com o trabalho em casa. Executivos e profissionais de recursos humanos levantavam dúvidas se o trabalho em casa não diminuiria o engajamento, não prejudicaria a inovação (pela falta de contato direto entre as pessoas) e não geraria queda de produtividade.

A pandemia proporcionará uma oportunidade de verificar se esses receios tinham fundamento ou não. Se uma empresa descobrir que ela funciona melhor com o funcionário em casa, pode apostar que esse será o caminho daqui em diante.

Então, se seu desejo é ganhar dinheiro trabalhando em casa, o caminho mais óbvio (nos tempos atuais – não era um caminho sequer cogitado antes da pandemia) é procurar um emprego que te permita trabalhar em casa e que, se possível, te pague um bom salário e um bom pacote de benefícios.

Uma outra possibilidade – trabalho offshore

O trabalho remoto não é uma coisa que está acontecendo apenas aqui no Brasil, e sim no mundo todo. Uma possibilidade que vem sendo levantada e discutida em alguns sites e comunidades de negócios é que o trabalho em casa abre, literalmente, “um mundo” de possibilidades, tanto para empresas quanto para profissionais.

Isso significa que uma empresa pode contratar em outros lugares (inclusive outros países) e um profissional pode trabalhar, remotamente, para um empregador em outro país.

Até então, “trabalho offshore” trazia a imagem de uma empresa americana contratando um call center na India. A partir de agora, isso pode ter um sentido diferente e mais amplo. Pode significar você trabalhar para uma empresa do Vale do Silício a partir de sua casa em Borá (o menor município do estado de São Paulo).

Importante ressaltar que isso, no presente momento, ainda está no campo das POSSIBILIDADES, pois envolve questões de natureza regulatória e legal. Mas é um assunto que já vem sendo tratado com seriedade por algumas empresas (especialmente as empresas de tecnologia).

Pode ser que, num futuro não tão distante, você possa ser contratado por uma empresa do outro lado do mundo, sem nunca “olhar nos olhos” de seus empregadores.
Tudo será uma questão de ter as habilidades técnicas requeridas e a capacidade de se comunicar.

Trabalhar em casa com serviços

Se a sua opção é por NÃO TER um emprego, a prestação de serviços talvez seja o caminho mais fácil para trabalhar em casa.

Vamos classificar os serviços em três categorias: Serviços que são IMPOSSÍVEIS de prestar em casa; serviços possíveis, mas com restrições e serviços sem restrições.

Serviços impossíveis de se prestar em casa

Aqui, não há muito o que se comentar. São aqueles serviços que exigem sua presença física no local, como consertar uma máquina ou implementar o cabeamento de uma rede de computadores.

Se você quer trabalhar em casa, serviços assim estão fora de questão. Fim de papo.

Serviços com restrições

Algumas atividades até podem ser realizadas de casa, mas têm restrições (geralmente restrições de natureza regulatória).

É o caso de alguns serviços de saúde. Médicos e alguns terapeutas não podiam (pelo menos antes da pandemia) atender remotamente. Por conta da pandemia, as autoridades de saúde brasileiras autorizaram o atendimento remoto.

Inicialmente, essa liberação é temporária, mas pode se tornar algo permanente no futuro.

Serviços sem restrições

Aqui são aqueles serviços que não têm nenhuma restrição legal ou regulatória e, se tiverem restrições, são restrições “de mercado”, em que os clientes podem ter resistência a serem atendidos remotamente.

Um exemplo de serviços sem restrições são as consultorias empresariais em geral.

Eu posso, por exemplo, prestar consultoria financeira para uma empresa sem nunca colocar o pé lá dentro. Basta que me mandem as informações que eu preciso, os acessos aos sistemas necessários e que eu tenha os canais de comunicação com as pessoas responsáveis. Posso, inclusive, envolver outros profissionais nesse projeto que, assim como eu, trabalharão de dentro de suas casas e “ninguém vai olhar na cara de ninguém”.

Eu POSSO e CONSIGO trabalhar assim, mas muitos clientes preferem ser atendidos pessoalmente (por insegurança, desconfiança, necessidade de controle ou seja lá o que for).

Então, neste caso, a restrição (se houver) será do mercado (leia-se, dos próprios clientes). Não será uma restrição de natureza legal ou regulatória. Formalmente, nada me impediria de trabalhar em casa.

Esse é o tipo de serviço que aqueles que querem trabalhar em casa devem procurar oferecer.

Trabalhar em casa com produtos

Produtos são, bem… produtos. Coisas tangíveis, físicas e que, supostamente, servem para alguma coisa.

Aqui entram, por exemplo, os clássicos “bombons, trufas e bolos” (para quem tem esse talento), confecção, artesanato e outras coisas.

As restrições a fazer produtos em casa podem ser físicas, regulatórias ou de (falta de) conhecimento.

Fazer produtos em casa implica ter algum espaço físico e recursos (máquinas e ferramentas). Se você mora num cubículo do tamanho de um quarto de hotel, talvez produzir algo não seja o melhor caminho. Se você mora numa casa espaçosa, as possibilidades ficam maiores.

Do ponto de vista regulatório, algumas cidades, bairros e regiões podem ter restrições contra atividades que, formalmente, são “industriais”. Se você vai fazer bolos em casa, a última coisa que você vai querer é que a campainha toque e, ao abrir a porta, ao invés de encontrar uma cliente querendo comprar um bolo de casamento gigantesco, você encontre o fiscal da prefeitura com uma multa que vai te “quebrar as pernas”.

Então, informe-se sobre as “questões formais” antes de iniciar qualquer atividade.

A outra restrição é do seu próprio conhecimento – é “o que você sabe fazer”.

Você sabe fazer bolos? Ótimo. Sabe costurar? Ótimo. Uma vez, conheci um cara que fazia, em casa, réplicas de amplificadores valvulados “clássicos” para guitarras, baseados em diagramas e esquemas eletrônicos que estão disponíveis (de graça) na internet.

Ele tinha o talento, o conhecimento, sabia onde achar as informações e componentes necessários e tinha a clientela. Achou um nicho perfeito e se deu muito bem.

Dependendo dos seus talentos e do seu conhecimento, o céu é o limite.

A propósito, conheça aqui o bolo coronavírus (minha tentativa de ser “boleiro”).

Comércio – Fazendo vendas de dentro de casa

Eu coloquei “comércio” imediatamente após “produtos” porque produtos precisam ser vendidos… Se você optar por uma atividade que envolva produzir algo em casa, vai ter que vender (ou arrumar algum terceiro que venda para você).

E também existe a possibilidade de revender produtos fabricados por outros. Muitas pessoas conseguiram construir suas vidas indo a excursões de compras para o Paraguai (ou Miami) ou comprando roupas em São Paulo para revender em outras cidades (esse tipo de profissional ficou conhecido como “sacoleira”).

É um modelo ainda popular e efetivo, mas que vem perdendo espaço para as opções online, como lojas virtuais (em que nem é preciso ter os produtos para entrega), marketplaces e os programas de afiliados, em que a pessoa promove produtos de terceiros na internet e recebe uma comissão pelas indicações.

Mais sobre essas opções “online” adiante.

Ganhe dinheiro vendendo seu conhecimento

Outra opção bastante comum (e viável) é vender seu conhecimento. A venda de conhecimento acaba sendo uma variação da prestação de serviços. Aqui entram alguns consultores, coaches, instrutores, professores, mentores e mais um milhão de outros nomes que são dados a quem se propõe a ensinar algo para alguém.

Assim como no caso de muitos serviços, a pandemia “empurrou” a distribuição de conhecimento para o ambiente online. Cursos à distância já eram uma coisa bastante popular, mas, por conta da pandemia, este pode virar o modelo educacional dominante.

Este é um assunto que eu fico à vontade para falar baseado em minha própria experiência. Uma parte significativa da minha renda vem de palestras, treinamentos e workshops que faço para clientes corporativos (os chamados treinamentos incompany).

O “modelo padrão” de palestra ou treinamento incompany sempre envolveu o meu deslocamento ao local. E esse deslocamento pode ser complexo (eu já estive em cada “buraco” que você nem imagina…). A despeito disso, os clientes corporativos tinham uma resistência histórica aos modelos de treinamento à distância.

Porém, desde o início da pandemia, tenho sido procurado por empresas (inclusive clientes antigos) em busca de treinamento à distância, que eu vou acabar fazendo… em casa! Como eu tenho a estrutura de transmissão (que não é nada complexa), fica muito mais fácil.

Até mesmo na educação formal as coisas estão mudando. Muitos colegas meus estão dando aula, em cursos de graduação e pós-graduação (em escolas renomadas, que sempre “olharam torto” para o ensino à distância), de dentro de suas casas. Talvez isso permaneça após as restrições de isolamento social.

Enfim, se você tem algo a ser ensinado e tem uma didática minimamente razoável, já tem uma opção para ganhar dinheiro trabalhando em casa.

Marketing digital e atividades online

Infoprodutos e programas de afiliados

“Marketing digital” acabou virando uma coisa meio estranha. O que deveria ser, simplesmente, a aplicação de técnicas de marketing por meios digitais acabou virando uma espécie de “subcultura” à parte. Por isso coloquei um tópico separado (do contrário, teria inserido o marketing digital em produtos e serviços).

Neste “amontoado” chamado, genericamente, de “marketing digital”, podemos colocar os programas de afiliados (que foram comentados na parte sobre comércio, que pagam comissões para quem promove a venda de produtos online) e os chamados “produtos informacionais” (“infoprodutos”, no jargão).

“Infoprodutos” são coisas como cursos online, sites de assinaturas (em que a pessoa “assina” para receber informações ou participar de um grupo), mentorias e coisas do gênero. São, tecnicamente, “serviços”. Mas o pessoal de marketing digital gosta de se referir como “produto”, para dar uma impressão de tangibilidade.

Aqui, é outra coisa sobre a qual eu posso dar um testemunho pessoal. Eu desenvolvo infoprodutos (aliás, fica o convite para você ver a seção de cursos do meu site) e eles representam uma outra parcela significativa da minha renda (a outra são os treinamentos e palestras que mencionei anteriormente).

Eu faço tudo sem sair de casa. Tenho até um pequeno estúdio de vídeo em casa para essa finalidade. E tenho muitos colegas que fazem o mesmo e estão ganhando um bom dinheiro (em alguns casos, MUITO dinheiro).

Então, posso dizer que essa forma de ganhar dinheiro trabalhando em casa é “legítima”.

Não é fácil, envolve muito trabalho… Mas não é uma fantasia.

Atividades online

Existem sites e serviços que se propõem a pagar pessoas para realizarem algumas atividades que, supostamente, são feitas em casa e via internet.

No Brasil, esse tipo de site não é tão comum. A maioria está no exterior e existem de diversos tipos, como sites que te pagam para responder pesquisas online, para ver anúncios ou para fazer reviews de produtos.

Eu tenho pouca (na verdade nenhuma) experiência com esse tipo de atividade. O que sei é que existem alguns legítimos e outros que são pura picaretagem. Então, informe-se bem antes de se envolver com qualquer coisa.

Outra coisa que eu sei sobre esse tipo de atividade é que os valores envolvidos não costumam ser muito expressivos. Podem até funcionar bem como uma renda extra para momentos em que se tem tempo sobrando. Mas, dificilmente, você conseguirá “viver disso”.

Pode ser uma opção interessante de complementação de renda, mas não espere muito.

Trading e operações no mercado financeiro

Este aqui eu deixei por último. De todos os assuntos apresentados neste artigo, este é aquele que eu tenho mais conhecimento e experiência, tanto atuando de forma direta quanto treinando outras pessoas.

E também digo que, de todas as possibilidades apresentadas, está aqui é a que tem mais mitos, ilusões e concepções erradas.

Muitas pessoas se encantam com a possibilidade de ganhar a vida fazendo operações financeiras especulativas (chamadas de trading) no conforto de suas casas. Inclusive, há uma verdadeira “indústria” de cursos, treinamentos e serviços que sobrevive (e prospera) baseada na crença de que é possível ganhar muito dinheiro tirando proveito das oscilações do mercado financeiro.

As operações financeiras favoritas daqueles que querem ganhar dinheiro trabalhando em casa são aquelas de curto prazo, em especial o day trade e o swing trade. Caso seja de seu interesse, aqui no site tem amplo material sobre operações de trading. Dê uma navegada nos artigos e tenho certeza que você vai se divertir bastante (se for esse o caminho que você quer seguir).

Então, vamos lá. Neste momento, a sua pergunta deve ser: É possível ganhar dinheiro e trabalhar em casa fazendo operações de trading?

A resposta curta e direta é: Sim, é possível. A resposta “não tão curta” e “não tão direta” é: É possível, mas é tão difícil ter sucesso e as chances de “se arrebentar” são tão altas que, para a grande maioria das pessoas, não vale a pena nem tentar. É como querer ser um astro de Hollywood… É possível, mas a chance de sucesso é tão remota, que talvez não valha o risco e o esforço.

Meu testemunho pessoal: Eu já vivi de operações de trading por muitos anos. Atualmente, não faço mais isso (posso voltar a fazer no futuro, mas não faz parte de meus planos de curto prazo). Também não dou mais aulas e cursos sobre o assunto. Já vi tanta gente jogar a vida fora com sonhos e expectativas erradas, que acabei desenvolvendo uma certa resistência ao assunto.

É um assunto que não me dá prazer (um dia já deu) e não quero ser cúmplice da quebra de outras pessoas.

Se você optar por seguir este caminho, vai encontrar muito material neste site que vai te ajudar. Boa parte do meu conhecimento e da minha experiência estão aqui no site, de graça, para você. Mas é o máximo que farei por você, se resolver seguir este caminho. Boa sorte e não conte comigo.

Conclusão

É possível ganhar dinheiro trabalhando em casa. Como vimos neste artigo, as possibilidades existem e estão aumentando. A pandemia e as ações de isolamento social estão acelerando uma tendência que já existia (de trabalho em casa), mas que era ainda tímida e caminhava lentamente.

Talvez, em algum momento, trabalhar em casa não seja mais um desejo ou uma escolha – pode virar a única opção.

São muitas as possibilidades. A verdadeira “arte” está em saber qual (ou quais) dessas possibilidades é a que melhor se adapta a você.

De sua parte, é preciso fazer um levantamento sobre a estrutura de trabalho em sua casa (se você tem espaço e recursos para fazer o que quer), seus conhecimentos e habilidades, suas preferências pessoais e suas expectativas.

Fazendo esse levantamento, você vai conseguir identificar qual é a oportunidade perfeita para você.

Quer se manter atualizado?

Assine minha newsletter e fique sabendo, em primeira mão, sobre meus artigos e vídeos. E receba, ainda, conteúdos EXCLUSIVOS.

Leia também:

Comentários

Comente